Devemos comemorar o Dia da Mulher?

No âmbito do Clube Europeu, no dia 8 de março, as professoras Paula Menezes, Dalila Chumbinho e Filomena Clemente dinamizaram via Zoom um debate/reflexão acerca da importância de existir um Dia da Mulher. 

Nesta sessão, que contou com a presença de cem participantes entre professores e alunos das turmas 10º B, 10º C, 11º B, 12º D e E, realizou-se uma reflexão conjunta a partir das palavras das convidadas palestrantes: Margarida Queirós, investigadora e professora no Instituto de Geografia e Ordenamento do Território e Luísa Inácio, engenheira civil e a primeira mulher responsável por um departamento de Património e Obras na CP. Ambas relataram as suas experiências de vida, incutindo nos jovens presentes a necessidade de continuar a lutar pela aplicação, na prática, dos Direitos Humanos, focando-se, em particular a exequibilidade e o respeito pelos direitos da mulher. Assim, e enquanto for visível a injustiça e a discriminação a que a mulher está sujeita, continua a ser premente a comemoração do Dia da Mulher. Segundo o  Tomás Charters( 12º E)  “  atividades como a de ontem, dia 08/03/2021, são fundamentais para o enriquecimento da cultura tanto dos alunos como dos docentes.  Todos temos opiniões diferentes, e podemos até não concordar com algo que tenha sido dito durante a palestra, todavia, tal facto não invalida que possamos aprender com as diferentes visões que possam existir. Penso que teria sido mais benéfico para todos se tivesse havido uma maior preparação, pois, alguns colegas da minha turma e eu, notámos uma certa desordem. Estive atento aos discursos das duas convidadas, a quem gostaria de agradecer a presença, e notei que emitimos opiniões distintas nalguns valores. Contudo, no final da palestra, foi dada uma abertura para comentarmos o que tínhamos ouvido e eu gosto sempre de um bom período de debate em que possa expressar as minhas ideias. Desta forma, posso desconstruir algumas opiniões  que tinha formado, ou então, o contrário. Obrigado aos professores envolvidos na atividade por proporcionarem aos alunos momentos como este. Também
a aluna do 11º B, Beatriz Miguéis referiu “Gosto muito de participar nestas atividades que envolvem causas (principalmente o feminismo que me toca) porque se queremos um mundo melhor e mais justo, temos todos que nos unir. Agradeço às professoras terem-nos proporcionado esta atividade.” E estes testemunhos são, com certeza, o exemplo de outras opiniões de muitos dos jovens que assistiram à palestra.